Apresenta o resultado de sua prática clínica com pacientes e alunos, e sua compreensão quanto a Terapia Ocupacional que, para Rui Chamone, implica em 5 elementos:

  • o ajudado (indivíduo, grupo, comunidade),
  • o terapeuta,
  • os materiais,
  • as ferramentas,
  • e os objetos concretos.

Neste livro o autor expõe sua compreensão sobre o mecanismo de cura da Terapia Ocupacional, e demonstra pelo relato de um caso clínico.

Os elementos da TO são entendidos como problemas em si, portanto, aquilo que precisa ser compreendido durante o processo de ajuda, por suas escolhas, modo de usar, tempo de uso, resultado a que chegou, compreensão sobre o que se fez… sendo assim, é compreendida como um modo psicoterapêutico, por ser uma abordagem crítico-laborativa das relações humanas.

Esse fazer ‘livre e criativo’ é gerador de consciência (conhecimento) e, portanto, é FIM em si mesmo, destina-se ao desenvolvimento da capacidade do ajudado desenvolver-se, produzir conhecimento de si e das relações que estabelece com os outros e o mundo, portanto, desenvolver sua consciência, fim de qualquer relação de ajuda/terapêutica. E isso se dá na experiência mesma do fazer, do agir livre e criativo.

E por oferecer oportunidades ao ajudado de intervir no mundo externo segundo sua intenção, vontade e com liberdade, as atividades assim realizadas são expressivas dos sentimentos, sensações, ideias, medos, fantasias, e formativas da consciência.

Esta consciência nasce do resgate do pensamento na obra. Questiona-se o que se fez para apreendê-lo e conhece-lo.

A atividade é entendida como FIM em si mesma, pois possibilita ao ajudado a geração de conhecimento acerca de si e de sua realidade; e como MEIO que auxilia o terapeuta na construção dos questionamentos necessários para auxiliar o ajudado na compreensão de si.

Discute o papel do terapeuta ocupacional: que é o de possibilitador da experiência do agir livre e criativo, e facilitador na compreensão do ajudado sobre o que se fez.

Você tem interesse em conhecer mais sobre os elementos da Terapia Ocupacional como problemas em si?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.