✨No livro “Museu didático de imagens livres” é apresentada a definição sartreana a respeito dos grupos humanos, nela o grupo é entendido como “uma luta dialética contra a serialidade e a alienação…” (p. 63) em que cada pessoa se encontra na multidão.👩🏿‍🦱👩🏽‍🦰🧔👨🏼‍🦲👳🏼‍♀️👩🏿‍🦳👴🏽👵🏻

🚶🚶🚶🚶A serialidade trata-se de um tipo de relação na qual as pessoas são substituíveis; a alienação é descrita como parte da práxis humana, em que as pessoas nascem alienadas e precisam agir contra essa condição através do processo de interiorizar a significação do outro. 👥

🌀 É a partir da existência de consciência a respeito da serialidade e alienação que os grupos se formam e então é possível descobrir a reciprocidade (ser para o outro como para si mesmo) e a alteridade (percepção de que existe uma diferença que completa a ambos – nós e o Outro). Portanto, “O grupo modifica e é modificado por seus integrantes”.

 

🌊 O grupo é um movimento que acontece a cada encontro, não é algo dado, pronto, estanque; ele se constitui, se faz e desfaz no encontro de seus integrantes. Quando cada um tem dentro de si a significação do outro como vínculo humano, nos sentimos conectados ao Outro.

É preciso ter conhecimento dos movimentos (mediações) que levam a formação e dissolução do grupo para intervir nas barreiras à sua evolução.

📒FONTE: Livro Museu Didático de Imagens Livres Rui Chamone Jorge, Mostra: “Corpo Grupal”, 1997

👉 Você trabalha com grupos? Conta aí!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.