Nova Coleção do Museu Didático

" class="lightbox">Nova Coleção do Museu Didático" class="gallery_full" />


A EVOLUÇÃO DO HOMO SAPIENS:

“Do ilusório ao real, das trevas a luz, da morte para a imortalidade”


Apresentação

Esta mostra faz parte de uma sequencia de trabalhos produzidos em Psicoterapia Ocupacional Grupal por dependentes químicos, que se encontravam em tratamento intensivo na Associação de Atenção à Dependência Química Terra da Sobriedade, que utiliza a metodologia de Comunidade Terapêutica.Foram selecionados cinco trabalhos desenvolvidos na oficina terapêutica e que, claramente, representam as etapas do tratamento na busca de conscientização descritas por Viana (2004):Negação, Negociação, Raiva, Depressão e Aceitação. Viana apresenta os cinco estágios inspirado nos textos de Elizabeth Kluber-Ross, que dizem acerca dos mecanismos de defesa que o ego desenvolve ao enfrentar situações extremas, no caso, a morte da consciência no dependente químico e a própria dependência como doença fatal. Autores (Pseudônimos): João (31 anos), Lucio (24 anos), Juliano(19 anos), Lucas (22 anos), Eduardo (41 anos), Barret (36 anos),Carlos (40 anos) e Bruno (26 anos)O grupo foi composto por oito pacientes que se consideravam dependentes químicos e estavam em tratamento intensivo na Comunidade Terapêutica. A exceção de Bruno, os demais integrantes já tinham experiência considerável no processo de recuperação e vivência de atendimento de grupo de psicoterapia ocupacional. Bruno participou de apenas dois encontros. Lúcio,Lucas e João vivenciaram o processo de reinserção social no período de construção destes trabalhos e acabaram por abandonar ou retirar-se do grupo. Lucas e Lúcio fizeram transição do tratamento intensivo para o tratamento ambulatorial em que já não participavam mais da rotina diária da Comunidade; enquanto João se precipitou, não cumpriu com a sua programação de reinserção e abandonou o tratamento. Carlos e Eduardo iniciaram o processo de reinserção social, mas deram sequencia até o final da intervenção neste grupo. Ambos fizeram a transição da hospedagem para permanência dia. Os demais, Barret, Juliano e Eduardo deram continuidade ao tratamento intensivo após o período de produção desta coleção.Os trabalhos e relatos apresentados foram realizados no período de 12/11/2014 a 14/01/2015 e conta com cinco quadros que foram produzidos na técnica de Pintura do Corpo Grupal descrita pelo Professor Rui Chamone Jorge e apresentada no livro “Museu Didático de Imagens Livres Professor Rui Chamone Jorge – Mostrado Corpo Grupal” (1997). Nos atendimentos anteriores, o grupo estava vivenciando a técnica da Pintura Grupal, mas o terapeuta observou que o grupo vinha apresentando uma quantidade grande de símbolos através desta técnica e as reflexões estavam profundas,mas muito confusas. Para ajudar os participantes a se organizarem e para tentar ajudá-los a ordenar os símbolos diante de um símbolo único, foi proposta a utilização da técnica da Pintura do Corpo Grupal.A técnica consiste em juntar três cartolinas medindo 96 cm X 66 cm,colando-as para formar um retângulo. Sobre esse retângulo, deita se um dos participantes e o terapeuta marca o contorno do corpo presente, delimitando um espaço. O lápis fica disponível sobre a mesa e os participantes preenchem livremente o trabalho com símbolos e passam para a próxima etapa quando todos avaliam que a ideia está suficientemente trabalhada. Destaca-se que esta etapa é uma variação da proposta do Professor Rui, que propõe a construção da ideia diretamente no processo de pintura. Quando todos avaliam que não há mais simbolos a serem acrescentados, osparticipantes em conjunto pintam o que criaram. Por fim, após arealização da pintura, o grupo se reune e discute o que foi feito.Esta coleção apresenta a evolução da consciencia dos participantesacerca do próprio adoecimento. Através da vivência do processo grupal puderam refletir e entender sobre as suas dificuldades de relacionamento, mecanismos de defesa que sustentam comportamentos adoecidos e a importância da aceitação de suas dificuldades e limitações que são fundamentais para que possam(re) construir os projetos de vida e de reinserção social.

Esta coleção foi exposta pela primeira vez , como parte da celebração dos 30 anos do GES.TO, no XII Congresso Norte-Nordeste de Terapia Ocupacional. Identidade da Terapia Ocupacional no Brasil: Reflexões, Desafios e Perspectivas, de 25 a 28 de Setembro de 2018 em Aracaju – SE.

Para conhecer a fundamentação teórica desta mostra e os comentários acerca de cada quadro, faça download da cartilha desta coleção:

Cartilha_AEvolucaodoHomoSapiens


Comentário