Chance para uma Esquizofrênica

Museu Didático de Imagens Livre Prof. Rui Chamone Jorge

Coleção: CHANCE PARA UMA ESQUIZOFRÊNICA

Autora: MS, 36 anos, esquizofrênica, cursava a universidade quando teve sua primeira crise.

Chance para uma Esquizofrênica foi o primeiro livro escrito pelo Prof. Rui Chamone Jorge, em 1980. Trata-se da descrição do tratamento de uma esquizofrênica grave no SER.TO – Serviço de Terapia Ocupacional.

O SER.TO, fundado em 1974, era um serviço ambulatorial particular de reabilitação psiquiátrica de casos agudos e crônicos, organizado com todas as suas atividades centradas em ocupações terapêuticas, realizadas com o suporte de uma equipe multidisciplinar, coordenada pelo Prof. Chamone: couro, modelagem, pintura, culinária, musicoterapia, teatroterapia, além de orientações às famílias, atendimento médico e outras atividades extramuros com os pacientes.

MS teve sua primeira crise em 1961 e foi internada, 16 anos antes dos atendimentos no ambulatório, seguidas de outras 13 internações posteriores.  Era acompanhada por um psiquiatra, que a encaminhou para o SER.TO, e estava em uso de medicamentos.

Quando iniciou os atendimentos de terapia ocupacional, em 30 de março de 1977, estava em sua pior fase, em agitação constante e agressiva, não demonstrava crítica em relação ao seu adoecimento – esteve 14 anos internada em um hospital psiquiátrico – sua higiene e cuidados pessoais eram precários e negava a necessidade de se tratar.

Durante os 14 meses que MS se tratou no SER.TO, ela submeteu-se a várias ocupações. Inicialmente os atendimentos eram individuais, de uma hora, três vezes por semana, quando trabalhava com atividades orientadas em couro e pintura livre. Após quatro meses, iniciou sua participação em um grupo terapêutico de canto coral e teratroterapia semanal e seu espaço de relações foi sendo ampliado, à medida que ela solicitava mais contato, até que os atendimentos individuais foram suspensos e MS passou a frequentar grupos de duas horas de duração, três vezes por semana.

A pintura e o desenho foram as atividades nas quais MS mais se empenhou. Seus trabalhos são apresentadas em dois conjuntos: a figura humana e outros temas (cinema, o homem em trabalho, a salvação, o futuro, a clínica, o amor).

Quadros tombados no Museu sob os números: 0063, 0064,0065,0066,0067,0068,0069,0070, 0071,0072,0073 e 0074.


2 Comentários

  1. gostaria de participar com grupo de vcs!!!!!!!!!!!!!!

    • Kelli, será um prazer recebê-la em nosso grupo!
      Venha conhecer o grupo e participar das reuniões! O endereço você encontra no rodapé do site.
      Abraço!

Comentário